sábado, 11 de outubro de 2014

A entrega de nossos pesares através das palavras

Em toda nossa caminhada existencial estamos em constante luta contra nós e o mundo, em busca de um equilíbrio ou sentido, passamos a perseguir de modo incessante algo que preencha um vazio,  e de fato o homem em toda sua construção histórica sempre procurou quase que de forma inata respostas para suas questões internas, seja na religião, no amor ou em prestígio social, em síntese somos seres angustiados, logo precisamos de uma ferramenta que posso aliviar toda a pressão que este mar de complexidade exerce sobre nosso ser, que pode ser representado aqui por nossa alma ou mente, chame como preferir, a verdade e que cada um tem sua luta diária consigo, tragicamente todas as noites passamos por aquela última turbulência de pensamentos na qual desenvolvemos auto flagelação psicológica a partir de erros, defeitos, ou objetivos inacabados, dito isso já se pode perceber qual a função deste local, que visa simplesmente compartilhar emoções, idéias, pensamentos e por vezes até mesmo decepções rs, servindo para mim com remédio eficaz para os males deste século, peço desculpas desde já pelos exageros românticos e viagens filosóficas, garanto aos amantes de ambas, doses semanais de complexidade interior regada a uma subjetividade abundante.


~~Hebert Miguel

Lutando por direitos

Tiros disparados por policiais
Não tem como alvo marginais
Somente o povo lutando por justiça
Sua própria casa não é segura
Abuso no poder
Abuso de poder
Abuso de violência
Para eles não existe inocência
País em decadência
A Força armada deixou de ser amada ou admirada
Pois usa da força contra a força da voz do povo
Cadê a igualdade?
Cadê a humanidade?
Só há depravação
E corpos espalhados pelo chão.
Bebês sendo lançados
A voz ecoando pelas ruas
“Sem violência” elas clamam, e é violência que recebem.
Redes sociais impulsionam a revolução do povo
Tentando evitar uma ditadura de novo
Lutamos com palavras
Usamos a constituição
Que é ignorada e pisoteada, cuspida e mastigada.
Não vamos nos calar


Vamos para as ruas, Vamos lutar!

Escrito no dia 16/06/2013 - Tiago da Silva Santos 

A contraditória felicidade: a insanidade como qualidade.


      Pedir perdão por ser quem sou seria hipocrisia, porque me completo com minha insanidade, de modo que não sou nada sem minha nobre loucura, sou do erro o mais imperfeito, assumo com honra meus defeitos, ser assim atordoado por natureza me faz acreditar nas pequenas coisas da vida, que podem ser por essência, utopias ou somente devaneios, mas nós acreditamos que podemos ser felizes amanhã, lá quando terminarmos a faculdade, passarmos no tão sonhado concurso, seremos seres humanos verdadeiros, orgulho da família, ou se der tudo errado iremos ser somente o fracasso depressivo, este é nosso céu e inferno, por isso estamos aqui de pé, e o amor? Este fica em segundo plano, pois precisamos primeiro satisfazer os desejos da sociedade moderna para só depois sermos felizes, como de praxe a burguesia segue sua eterna luta por salvação, ou ascensão, nós os filhos do progresso tentamos sobreviver, sem contrair nenhuma doença de alma, meu medo é de nunca ser feliz, meu orgulho é ser contraditório, porque minha loucura é minha cura para o meu mal do qual eu fujo todos os dias, a insanidade é a arma que uso para procurar e tão verdadeira e tão sonhada alegria.

Odiosa Humanidade

Pessoas comentam o que não sabem e se acham os donos da razão
Indiretas, as carapuças servem, são tamanho padrão
Não me venha com perguntas ou afirmações sem sentido
Com sarcasmo ou cegueira generalizada
Sua opinião não vale nada
Quando seu objetivo é ferir e não construir
É subtrair e não multiplicar,
Não dar valor e tratar as pessoas como “amigos descartáveis”
“Onde estão seus amigos?”
Isso é o que poderíamos perguntar, quando estiveres no chão.
Mas não somos como você, lhe estenderemos a mão.
Seu incomodo e arrogância nos dá pena
Julga-nos tanto quanto fala de Deus
Será que seu Deus se alegra disso?
 Pois o meu não.
Ser assim é seu exemplo? Parte de seu testemunho?
Quem irá querer seu Deus?
....

O controverso do amor ao ódio.


Por amor escolhi te odiar
Por ódio eu te amo
Pela dor encontrei a cura
Em teus olhos descobri a vida
Vejo morte como saída 
Vida, eterna, cruel e fria
Singelo foi teu existir
Fez renascer a cor
Logo depois encontrei o cinzento céu
Definir o bem e o mal
Como Aquele beijo sem igual
Meu amor, como você me faz um caos
Mas sem você não existe ódio ou amor
Cinza nem cor
Foi por ti que escolhi viver
Pois por uma vida sem você, prefiro odiar
Escolhi te amar, com romantismo cortante
Com todos os devaneios conflitantes
Porque meu amor é ódio, meu amor é vida.

~~Hebert Miguel

Só mais outra noite em claro

Uma hora completa de mais uma noite sem sono

Uma vida inteira sem paz alguma
Tentativas falhas de amar
Fracasso foi meu viver
Milhares de dias tentei não ser eu
Por diversas noites procurei a cura
Descobri no escuro que não existe fuga
Sobre o brilho de meus defeitos se refletem desejos
Mente sob efeito de neurose nociva
Que mata lentamente, a cada tentativa pela frente
Não tenho como lhe dizer quem sou
Pois nem mesmo sei se aqui estou
Eu vou sozinho na companhia
da insanidade
Ao lado da agonia, procurando liberdade
De mim mesmo, ou de todos
Mais uma noite meu sono se foi.


~~Hebert Miguel

Devaneios da madrugada


Madrugada fria. Enquanto todos dormem, escrevo
Não sei ao certo sobre o que e com que finalidade. Somente escrevo
Jogar com amigos em meio a xingamentos e risadas
E lavar louça em plena madrugada.
Terapia, tratamento, medicação.
Tudo isso fez bem ao meu coração. 
Temos muita coisa a se pensar.
Amigos doentes, amigos em pranto, amigos em luto.  E em sua mente você está em apuros.
Sente-se só. Abandonado. Quando na verdade é somente uma fase onde poucos entendem, mas muitos criticam ou ridicularizam.
O ser humano foi criado para humilhar e se achar superior?
Ou para amar e ajudar?
Onde está o amor? 
Onde está a ajuda?
Onde está você, pra me dizer que estou errado?
Acordou? deixou de ser manipulado? cortou as cordas?
Então não a mais nada a se pensar
Vamos agir e esse mundo enfrentar
Tiago da Silva Santos

Equilíbrio entre Razão e Emoção: nunca deixe de existir.

Hoje descanso na esperança do tão sonhado futuro, de modo incerto completo meu álbum de aprendizado, renascendo das cinzas a cada morte de espírito, me livrando das más intenções dos seres humanos que ferem, jogam com amor, esses não são dignos de respeito, pois amor é tão raro quanto boas intenções, deste modo não se deve dizer o que não se sente, fazer o que não se quer,  e viver somente para existir, eu por convicção não escolhi esperar, uso minha razão o bastante pra raciocinar, e sou intenso o suficiente para amar, a cada segundo respiro com o compasso acelerado, ao extremo do concreto calor abstrato, as lágrimas já não me molham mais, o sol me mostrou que vem todos dias pra aquecer todos aqueles de bom coração que buscam crescer, se entender com ser humano, e assim evoluir em esfera metafísica e material, por fim faço um brinde com todas as decepções e tristezas, e deixo meus votos de boa sorte a todos vocês que ainda não permitiram que a vida morresse em seus corações. 

~~Hebert Miguel

Sentimentos falhos para humanos falhos.


Onde está o amor?
Lembro-me que um dia alguém me disse que eu encontraria o amor
Que ele um dia me pegaria.
E que eu deixaria de duvidar de sua existência
Lembro-me dela dizer que todos nós temos alguém e precisávamos encontrar, assim como ela.
Lembro-me como se fosse ontem
Ela dizia que o amava
Ela tinha certeza, certeza porque tinha as escrituras, certeza por que tinha seu coração.
Para onde foi seu coração agora?
Para onde foram suas santas escrituras?
Pra onde foi o amor?
E quanto as juras?
Demonstrações de carinho e afeto?
Tudo em vão?
Ela dizia que era amor o que sentia.
Dizia que o casamento era a sua vida
Como pode ter me contado essa mentira?
Fazer-me pensar diferente.

Hoje quero acordar.


Hoje quero acordar mas meu corpo pede calma, hoje reescrever meu destino torna-se prioridade, a verdade, assumida, recriada e escrita, veio até mim através do livro antigo, minha dor ainda me corta nas entranhas, porém ainda permaneço sobrepondo meus males físicos, e dissertar sobre a vida me veio como vocação, a submissão dos fiéis me ativa o senso crítico, entretanto minha fé ilumina a emoção, se ainda permaneço vivo não sei pra qual objetivo, por convicção farei o que meu espírito mandar, o que tornar meu coração pulsante, até o fim e por mim, serei inconveniente por natureza, e intenso por obrigação inata, recolho meus escombros e sigo, como quem nunca chorou e sempre amou.

~~Hebert Miguel

A felicidade plena: o amor próprio e sua lealdade incontestável


Um dia ouvi falar que nossa felicidade depende de nosso equilíbrio, um dia percebi que não se pode colocar seus planos e sonhos nas mãos de outro indivíduo, pois de fato não se pode confiar sua alma a ninguém senão a você mesmo, a procura por evolução interna deve ser constante, evitando assim aquela sensação de morte espiritual quando aquele com quem você dividiu seu coração simplesmente te descarta, menosprezando sentimentos, deixando em migalhas sua fé, dito isso pode-se inferir que seu amor próprio quando bem cultivado permanece inabalável, construindo assim uma lealdade pura, em síntese somente quando aprendemos a nos amar e que podemos amar a outro alguém, e preciso completar-se, entender-se, numa busca interminável por auto conhecimento, para que se possa desbravar o mundo, viajar da lógica ao absurdo, sabendo que lá fora existem todos os conflitos possíveis, mas aqui dentro tudo encontra-se em paz.